FP - THOMAS WORTHINGTON

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

FP - THOMAS WORTHINGTON

Mensagem por Thomas Worthington em Qui Maio 01, 2014 12:58 pm



História

Nasci na cidade de Londres, sou filho de Dimity Worthington e Mary Worthington. Desde pequeno, meus pais sempre foram muito religiosos e por isso, segui o seu catolicismo. Minha família, Worthington, apesar de bastante rica, tem um histórico de mortalidade bastante grande, e isso influenciou a eu pensar quanto tempo viveria.

Eu cresci, brinquei e estudei como uma criança normal. Ainda me lembro bem, minha mãe dizia sempre quando eu ia dormir "Durma com os anjos querido". Eu sempre agradecia, porém, mais pra frente, eu nunca iria gostar que um anjo ficasse perto de mim, ou que eu virasse um desses seres celestiais.

Quando atingi certos 13 anos, dores musculares desconhecidas começaram a aparecer diante de meu corpo. Os profissionais formados em medicina diziam que eram da idade, porém, não era... Numa noite do mesmo ano, fui obrigado a morder um cinto para que pudesse contar a minha dor. Meus pais estavam na sala de minha casa, e eu, no meu quarto, trancado no banheiro da suíte e vendo dois ossos brotarem de minhas costas.

Consegui esconder o segredo por alguns anos, usando roupas largas e de vez em quando, capas de chuvas, em dias chuvosos, já que em Londres a chuva aparece normalmente. Aos meus 17 anos, estava sentado no quintal de minha casa, apenas observando o sol escaldante que estava se pondo. Antes, como as dores mal apareciam, eu pensava que os ossos postos para fora de meu corpo iriam sucumbir para dentro do mesmo, e deixar tudo normal, novamente. Mas era apenas ilusão. Eu comecei a sentir uma forte dor na região já lesionada anteriormente e assim, minha pele começou a rasgar lentamente. Chorei, gemi, esperneei, debati-me e gritei; mas nada parava a dor.

Após horas de dor, os ossos saíram de meu corpo, deixando um alívio em mim extremamente grande, até que me virei, e olhei para trás. Vi duas asas abanando a minha cabeça conforme a minha vontade, e lindas plumas esbranquiçadas, "limpíssimas". Mas até aí eu não sabia que meu pai estava me observando, junto com minha mãe, até eu tentar um voo, "Bem, asas servem para isso né" - foi o que pensei. Levantei o voo batendo as asas e desajeitadamente, comecei a voar, como um "super-herói". Sorrindo, olhei para baixo, e vi meus pais, chorando, abraçados e falando: "Por que meu filho? Por que?". Eu me lembro muito bem, eu desci em disparada contra o chão, e fali, os abraçando e abafando-os com minhas asas. Respondi com um tom calmo e gentil: "Porque comigo? Foi pela vontade de Deus, porque Ele quis...".

Eles pararam por um minuto, suas lágrimas ficaram imóveis sobre as dobras de seus rostos. Eu disse que não podia vê-los, talvez Deus não queria, eu era uma aberração! Mesmo sem confirmação deles, quando eles se viraram, levantei voo, sem me despedir.

[...]

Alguns anos depois, com 21, já tinha maturidade o bastante, já estava mais amadurecido, podia fazer minhas próprias escolhas. Eu resolvi tentar salvar alguém, alguma pessoa que precisasse. Meu primeiro trabalho foi um prédio incendiado, os tiras não puderam conter o fogo nem mesmo com ajuda do corpo de Bombeiros. Ainda tinham pessoas lá, então, saindo de outro prédio, voando, entrei quebrando a vidraça do recinto pré-chamuscado. Duas pessoas se encontravam em minha frente, apenas com a camisa posta sobre o seu nariz, ficando livre da respiração de gases tóxicos. Sem pensar, peguei as duas, uma, era uma criança, com aproximadamente 6 ou 7 anos de idade, a outra, uma mulher, podia ter uns 40 ou 50 anos. Segurando-as, senti que elas pareciam folhas de papel, ou estas pessoas eram muito leves, ou eu era mais forte.

Descendo do prédio, soltei as pessoas, mas mesmo assim, fui baleado por um policial, "como agradecimento"... Talvez ele pensasse que estava fazendo algo de ruim às pessoas. Mesmo com uma bala presa em meu abdômen, tive capacidade de levantar voo com total facilidade. Talvez eu havia ganhado poderes angelicais.

[...]

Atualmente, continuo salvando pessoas, porém, de forma mais sigilosa. Recebi notícias que estava sendo caçado, por pessoas más, e pessoas boas. Para mim, as duas são más, afinal, gosto de uma vida mais quieta.

Thomas

Moore

Worthington



nome completo: Thomas Moore Worthington

idade: 24

photoplayer: Misha Collins.

grupo: Heróis.

personalidade: Não gosta de socializar-se, não porque é tímido, mas sim, porque não confia nas pessoas. Gostar de ser racional e imprevisível, agir sem pensar diversas vezes não faz parte de sua personalidade. Examina as pessoas de longe. Uma de suas qualidades é que jamais se rende diante de uma adversidade. O defeito é que é uma pessoa fria e calculista, não se importando com os sentimentos dos outros. Manias são inexistentes, ele as julga "coisas de pessoas sem inteligência própria".

físico: Cabelos castanhos, o penteado é quase nulo deixando fios rebeldes escaparem. Olhos claros,muitas vezes comparados ao mar. Corpo bronzeado, devido ao grande tempo que fixa exposto ao sol. Pesa cerca de 73 Kg com uma altura de 1,75 cm. Gosta de vestir uma calça jeans junto com uma camisa, tênis branco. Quando necessário usa um sobretudo bege.

poderes: • Asas de Anjo ou Demônio
• Mimetismo Angelical





©
avatar
Thomas Worthington

Mensagens : 3
Data de inscrição : 04/02/2014
Idade : 17
Localização : Londres

Ficha Avenger
Nível: Delta - 1

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum